Foi no dia 14 de Fevereiro que terminou a maratona literária mais divertida em que participei, também é verdade que a lista é pequena, mas aliar o monopólio aos livros foi uma ideia de génio, e eu adorei participar. Contudo não conclui todos os desafios, porque algumas categorias não tinha livros e outras não consegui ler a tempo. 

Mas vamos lá ver o que li e comparar com o que me comprometi a ler (podem ver o post da TBR para o desafio clicando aqui):

P.S. Os livros que têm opinião no blogue, clicando em cima do nome do livro vão diretamente para a opinião.

Casa 1 – Ler um conto ou um livro de contos

A minha ideia era ler o livro “Seis Contos de Eça de Queirós” recontados por Luísa Ducla Soares e cumpri, deve ter sido dos poucos.

Casa 2 – Ler um livro de poesia

Eu já previa que iria ser difícil concretizar esta casa, e não estava errada. Não li nada de poesia, não é o meu tipo de leitura.

Casa 3 – Ler um romance

Para esta casa escolhi “Viver na Flauta” de Aurélie Valognes, que li, contudo aqui o jogo era por páginas, e acabei por incluir nesta casa o livro “Porto Seguro” da Danielle Steel, que li em versão de bolso. 

Casa 4 – Ler um livro do vosso género favorito

Cumpri este desafio, que foi ler o livro  “Lua-de-Mel em Paris” da Elizabeth Adler, não correu muito bem, foi o considerado por mim a minha pior leitura de 2018

Casa 5 – Ler um thriller, livro de mistério, suspense ou policial

Também cumpri este desafio com o livro a que me propus “Culpa” de Jeff Abbott.

Casa 6 – Ler um romance histórico

Esta foi uma categoria que deu que falar, porque tinha que ser um romance histórico e não de época. Eu não conheço a história britânica para saber se aquilo que eles falam é real, mas segundo o goodreads o livro ganhou o prémio Rita, na categorial de Historical Romance, e eu vou confiar neles. Foi considerada por mim a melhor leitura de 2018, “A Noiva” da Julia Garwood.

Casa 7 – Ler um livro que já tenha sido adaptado para o cinema

Era para ler o “A Todos os Rapazes Que Amei” de Jenny Han, que estava em mais umas quantas TBR para desafios, ainda não li este livro. E depois de as organizadoras dizerem que podia ser um livro que tivesse dado origem a uma série de televisão, eu li do Jay Asher o livro “Por Treze Razões“, que deu origem à série “13 Reasons Why”, que eu já vi. 

Casa 8 – Ler um livro à vossa escolha

Cumpri este desafio lendo o livro que tinha previsto, que foi “O dia em que te perdi” da Lesley Pearse. Primeiro livro lido da autora, e mesmo sabendo que foge ao género habitual dela, gostei do livro. 

Casa 9 – Ler um livro de fantasia

Não li a “Tatuagem” da Melissa Marr, que tenho na estante, li sim o “Ponto Sem Retorno” da Gabriela Simões, um livro de bruxas, e é o primeiro de uma série.

Casa 10 – Ler um livro requisitado na biblioteca

O que tinha previsto ler para esta categoria, que este ano foi muito fácil de cumprir, foi o livro “A Submissa” da Tara Sue Me, que na realidade eu li e adorei, mas mais uma vez, como se tratava de ter mais páginas no fim da maratona, troquei este livro pelo “A Amiga” da Dorothy Koomson.

Casa 11 – Ler um livro infantil ou juvenil

Infelizmente não cumpri esta casa, com muita pena minha

Casa 12 – Ler um calhamaço (com mais de 500 páginas)

Ia ler o livro da  Penny Vincenzi “Promessas Desfeitas”, contudo eu nem pensei que fosse cumprir esta casa sequer. Só que participei numa leitura conjunta do desafio literário “Viciada em Livros” e o livro foi o “Passa a Noite Comigo” da Megan Maxwell, e tem 553 páginas o ebook, e encaixou perfeitamente nesta categoria.

Casa 13 – Repetir um dos desafios à vossa escolha

Ia para ler o livro “October Kiss” da Kristen Ethridge, que ainda está por ler, e acabei por repetir a casa 5, que era “Ler um thriller, livro de mistério, suspense ou policial” e li o livro da Sofie Sarenbrant  “Uma Morte Inconveniente“.

Casa 14 – Ler um livro de ficção científica

Não aconteceu simplesmente.

Casa 15 – Ler um livro editado no séc. XX 

Eu era para ler o livro “Enquanto estiveres aí” do Marc Levy, que li. Só que qual não é o meu espanto quando vejo que afinal a edição que tenho é de 2001, e lá se foi a casa 15.

Casa 16 – Ler um livro que tenha flores na capa

Para esta casa escolhi “Um Mar de Rosas” da Nora Roberts, que li a tempo de incluir no desafio, mas a li outro que encaixava com mais páginas, e acabou por ficar o livro “A Fonte Silenciosa” da Victoria Fox.

No total li 12 desafios e li 4246 páginas, como cumpri os quatro desafios extra que valiam 25 páginas cada, tive um total de 4346 páginas, o que nem foi mau, porque nunca pensei ler tanto!

Participaram no livropólio, ou leram algum destes livros? Deixem tudo nos comentários abaixo e até ao próximo post!

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial