O Jardim das Flores de Pedra

de Deborah Smith 

Título Original: The Stone Flower Garden

ISBN: 978-972-0-03205-8

Edição ou reimpressão: 06-2019

Editor: Porto Editora

Páginas: 320

Género: Romance

Compre

Wook

Livro (aqui) Ebook (Aqui)

Bertrand

Livro (Aqui) Ebook (Aqui)

Goodreads: 3,80✯ (aqui)

Sinopse

Para Darl Union, a vida em Burnt Stand, na Carolina do Norte, foi sempre uma estranha mistura de riqueza, privilégio e solidão. Criada pela avó, uma mulher tão fria e dura como a pedreira de mármore que é a herança da família, o amor é-lhe estranho até ao dia em que se apaixona perdidamente por Eli Wade, o filho de um canteiro.

Porém, o amor adolescente e puro cedo se vê comprometido por uma teia de mentiras e de morte: o pai de Eli é considerado o responsável pelo desaparecimento da tia-avó de Darl e, embora inocente, acaba por ser morto.

Mas agora, vinte e cinco anos depois, há segredos que podem literalmente vir à superfície – e Darl e Eli têm finalmente uma hipótese de enfrentar e resolver o passado.

Sobre a Autora

Deborah Smith é uma das autoras americanas mais lidas em todo o mundo: a sua obra já vendeu mais de três milhões de exemplares. Nomeada para diversos prémios

importantes, como o RITA Award da Romance Writers of America e o Best Contemporary Fiction da Romance Reviews Today, foi distinguida com o Prémio de Carreira atribuído pela Romantic Times Magazine. No catálogo da Porto Editora figuram os seus romances A Doçura da Chuva, Segredos do Passado, O Café do Amor, Milagre, Doces Silêncios e Regresso a Casa, que obtiveram assinalável êxito junto dos leitores portugueses.

A Minha Opinião

Foi a minha estreia com a autora, mas a verdade é que já há muito tempo que andava a namorar os livros dela!

Este livro passa-se em dois momentos quando Eli e Darl são crianças e passado 25 anos. O que estas crianças têm em comum é a amizade de certa forma indestrutível, mas de resto as suas vidas são completamente diferentes. Darl é neta de uma senhora muito poderosa na região, dona de uma empresa de mármore, e que acredita que consegue tudo o que deseja. Já Eli é filho de um canteiro, o pai apesar de muito talentoso com a pedra não tinha estudos, nem sabia ler, já Eli revela-se um prodígio da matemática. Mas quando o pai de Eli é morto devido a ser acusado do desaparecimento da tia-avó de Darl, as vidas das duas crianças separam-se e só passado 25 anos se encontram novamente.

O que é que eu achei deste livro… demorei muito tempo a lê-lo, principalmente para os meus padrões e isso não um bom indicador. É verdade que só lia no comboio, mas mesmo assim, demorei mais do que o habitual, e a razão é simples, o livro não me cativou logo de inicio. Eu não consegui estabelecer empatia com as personagens, nem com a história em si.

Todo o “mundo” em que a Darl vivia parecia-me irreal, havia tanta coisa por explicar, tanta coincidência, que para mim não fazia sentido, o que fez com que não me conseguisse apegar, principalmente com a primeira parte da história, porque com a segunda a coisa melhorou.

Primeiro senti o Eli mais presente na segunda parte, digamos que a história se centra mais nele, mas eu nem criei muita empatia, só gostei mais do rumo das coisas.

E não criei empatia porquê? Achei-o por um lado um bocado banana, eu percebo as razões, mas acho que ele deveria ter outra atitude (sim, eu sou exigente), e depois faltou explicar muita coisa sobre ele, foi tudo muito superficial e não me agradou lá muito.

Eu só apresentei pontos negativos até agora, mas eu comecei a gostar do livro, só que foi quando ele estava no fim, algo que se está a tornar recorrente. Além disso gostei da escrita da autora, e tenciono ler mais livros dela, porque o meu problema foi definitivamente com a história. Eu já previa que não fosse algo estrondoso para os meus gostos literários, quando mete à mistura muitas guerras familiares, não me costuma entusiasmar, mas a verdade é que eu me perdi nas guerras, nas relações…

Em suma, que eu acho que ficou confuso, de uma maneira geral foi um livro agradável, só não me manteve constantemente cativada ao longo da leitura, pelo menos até metade, e sem dúvida que isso afetou a minha percepção do livro. Todavia o livro tem excelentes críticas, principalmente de leitores portugueses, por isso acho que depende muito do gosto pessoal de cada um. Mas quem gosta dramas familiares, de certeza que vai gostar.

Classificação


Leitura com Apoio

Edições Pelo Mundo Fora

P.S: Este post contém links de afiliados. Para saber mais sobre clique aqui.

Please follow and like us:

10 Comments

  1. Amo um drama familiar. Adorei sua resenha. Parecer ser uma leitura bem interessante. Apesar dos pontos negativos me interessou. 😀

  2. Nunca li nada dessa autora mas agora que olho para a fotografia e tudo, penso que já vi o nome dela em algum lado… Tenho uma amiga louca por romances, talvez tenha sido ela a falar-me da autora eheh.
    Não gosto nada quando os livros não me cativam de início… Quero dizer, acho que é importante fazê-lo, porque senão acabo por perder o interesse e pôr o livro de parte :/ Ainda há pouco tempo estive a tentar ler um que acabou por não me cativar e lá o pus de lado. Mas também porque não estava no "mood" para um romance de época…
    Agradeço por seres sincera e apontares as coisas que menos gostaste!
    Beijocas ♡

    https://player1reads.blogs.sapo.pt

    1. Sim, hoje em dia com tanta oferta os livros têm de nos cativar desde inicio, senão pede-se o interesse. Eu infelizmente não gosto de desistir, e tento arrastar e depois não gosto…
      beijinhos

  3. Não conhecia de todo a autora ou o livro. As vezes os livros não nos cativam logo mas por vezes depois conseguem 😊
    Blog : Lila Readings

  4. Não conhecia a autora nem o livro, mas achei a review muito pertinente! Tenho tido o mesmo "problema" com alguns livros, sinto que no início enrolam muito e a história só fica verdadeiramente boa no fim.. É pena porque um bom final não é o suficiente para tornar um livro bom :/

    Blog: https://octobermoonn.blogspot.com

  5. Há medida que vou lendo, também noto que começo a ficar muito mais exigente, especialmente com o enredo e a forma como este se desenrola. :/
    Chego a ler livros que são muito queridos entre os leitores e super elogiados mas, quando chego à ultima página, deixam-me com a sensação que que não foram assim tão extraordinários.
    Isto de ser muito exigente faz-nos criar expectativas altas, e depois… Pronto! No entanto, quando aparece um bom livro, é uma explosão de felicidade 😍!

    Vanessa,
    https://blogdevoradoradelivros.blogspot.com

    1. Concordo plenamente, à medida que vamos lendo, vamos ficando mais exigentes. é preciso mais para nos surpreender, mas continua a valer a pena!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial