Estou muito feliz por vos trazer esta entrevista hoje, pois trata-se da minha primeira entrevista a uma autora internacional, e fico muito feliz por ser uma autora da qual sou grande fã, e da qual li todos os livros editados em território nacional, pela Topseller. É americana, e viu adaptados ao ecrã um dos seus livros, falo-vos de K. Bromberg.

You can read the interview in english here.

Quando é que começou o seu amor pela escrita? 

Sempre adorei escrever porque acho que é a melhor forma de me expressar. O bom de escrever é que se pode apagar e reescrever até conseguir o que se quer dizer perfeitamente!

Em Portugal, infelizmente, apenas os primeiros 3 livros da série Driven estão traduzidos. Como foi escrever esta série?

Eu sei e estamos a tentar que mais sejam traduzidos, mas infelizmente as editoras não querem comprar mais nenhum. Estamos a tentar, eu prometo. 

Para mim, escrever esta série foi uma enorme e emocionante aprendizagem, já que nunca tinha escrito nada assim antes. Fiquei perdidamente apaixonada pelas personagens durante dois anos e nunca tal me tinha acontecido anteriormente, foi muito especial. E então saber que os leitores gostaram tanto foi incrível.

Onde se inspirou para criar estes personagens com um passado tão conturbado?

Eu acho que é mais fácil escrever personagens com passados conturbados, porque atrai mais emoções.

Quão importante é para si a opinião do leitor?

Muito. Se os leitores não gostam do que escrevo, não há ninguém para ler. Dito isto, entendo que nem todo leitor gostará de todos os livros que escrevo. Tento não levar isso a sério, mas ainda assim preferia que gostassem.

Alguma vez pensou que seus livros seriam traduzidos para vários idiomas?

Nunca. Escrevi impulsionada por um desafio que fiz a mim mesma para ver se conseguia. Eu nunca esperei que isso acontecesse.

Qual é a sensação de ver leitores de um pouco por todo o mundo a falar sobre os seus livros nas redes sociais?

É surreal. É a melhor maneira que posso descrever. É surreal e incrível ser convidada para tantas casas e vidas, e sentir que conheço pessoas em todos os lugares. Estou muito grata.

Driven foi adaptado para uma série de TV. Como é ver as suas personagens a tornarem-se reais?

Ainda mais surreal. Foi algo que nunca imaginei acontecer em meus sonhos mais loucos, então, ao ver Colton andar no ecrã, fiquei com lágrimas nos olhos.

Ficou satisfeita com os atores escolhidos? Eles tinham as características que imaginou quando criou as personagens no papel?

Sim. Muito. Eu acho que eles fizeram um ótimo trabalho, mas ainda mais, eu acho que eles perceberam o quanto os leitores amavam as personagens e a história e queriam torná-la perfeita para eles.

Está a trabalhar em algum novo projeto?

Acabei de lançar um livro chamado Flirting with 40 sobre uma mulher de 39 anos que encontrou o amor com um homem mais jovem … e acabei de escrever um livro chamado Hard to Hold sobre um jogador de futebol britânico!

Por fim, o que gostaria de dizer aos leitores portugueses?

Muito obrigada pelo apoio ao longo dos anos. Agradeço todo o amor. Prometo que estamos a tentar traduzir mais livros para vocês em Portugal. Obrigado.

Já conheciam a autora? Já leram algum dos seus livros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial