Para quem não conhece o Bookstagram é uma comunidade dentro do próprio instagram onde se partilha o amor pelos livros. Desde desafios, opiniões de leituras, pilhas de livros, pode-se encontrar um pouco de tudo sobre a literatura por lá. O que vos trago hoje é um guia para ter sucesso no bookstagram.

No mundo em geral cresceu o número de influencers, ou seja, pessoas com perfis nas redes sociais que, passando a redundância, influenciam vidas. O mundo literário não é diferente, os bookstagrammers são cada vez mais, e o mercado também mudou bastante nos últimos anos.

Quando eu comecei, 2018 no bookstagram, ele ainda nem existia ao certo, muito aconteceu nos últimos anos, e todos os dias novos perfis aparecem. São muitas as motivações, falarei disso mais à frente, mas a verdade é que é necessário destacar-se numa comunidade onde há mais concorrência.

O que vou nomear aqui, é aplicado a qualquer nicho nas redes sociais. É baseado nos meus últimos dois anos na plataforma, e quase quatro no blogue. Quando falarei de “projeto” refiro-me a blogue, instagram, Youtube, página de Facebook, entre muitas outras.

A motivação principal deve ser o amor aos livros

Parece básico, mas não é. A razão inicial para a criação de um projeto, seja em que o nicho e a rede social for, deve ser o amor por ele.
Se criarem um projeto de maquilhagem e não gostarem muito de se maquilhar, e apenas têm o objetivo de receber coisas gratuitas, não vai correr bem. Posso enumerar diversas razões, mas a principal é vão perder o entusiasmo por não estão a falar de algo que gostam. Se já acontece quando se adora o tema, imaginem o contrário. Por isso criem algo com que se identifiquem.

Sejam autênticos e não se cedam às pressões

Não têm de expor a vossa vida nas redes sociais, mas, se por exemplo, se não gostam de ler thrillers, não finjam gostar só porque está na moda. Se não gostam de abordar algum tema não o façam porque dá likes.
Por exemplo eu não gosto de livros sobre o Holocausto, e no mês de janeiro é as redes sociais inundadas de livros sobre tema, é fantástico falar-se sobre o assunto, mas não somos todos obrigados a ler. Com isto não estou a dizer para não experimentarem, devem sempre sair da vossa zona de conforto, mas não o façam para seguir modas ou ter likes. No meu caso encontraram dois livros sobre o tema aqui no blogue, foram as minhas tentativas.

Sejam honestos nas opiniões

O problema não se põe quando as opiniões são positivas, é sempre no oposto. Eu destaco duas situações em que é difícil, e eu reconheço, dar uma opinião honesta.
Livros que todos gostam e vocês odiaram, ou nem terminaram. É algo que me acontece constantemente, coloco as expectativas no máximo, e elas caem a pique. Nunca tive o caso de fãs revoltados, mas é sempre um risco quando estamos na internet.
A outra situação é mais delicada. Opiniões negativas de livros nacionais, e ainda por cima de parcerias, um autêntico drama. Contudo eu acho que aí é que se destacam os bons dos maus (em sentido figurado). Não, não têm de deitar os livros todos abaixo, têm várias opções nestes casos:

  • Conversar com o autor. Há quem considere publicidade seja boa ou má, é publicidade, mas quando se trata de autores, eu não acredito nisso pela minha experiência, é como dizerem mal de um filho. Se ele vos deu o livro, ou qualquer outro acordo, sejam honestos com ele primeiro, digam que não gostaram de uma forma construtiva, e se for de acordo mútuo, não publiquem.
  • Se optarem por dar a opinião, que seja o mais construtiva possível (sigam esta máxima em seja ela boa ou má). A minha professora de filosofia do secundário dizia que devíamos primeiro falar do bom e depois do mau, já naquela altura não concordava com ela, mas o ideal é alternarem caso sejam muitas coisas más.
  • Se não houver nada de bom, ponderem simplesmente a opção 1, ou se forem corajosos, vão à guerra, mas não se esqueçam se que dá e que se leva.

Parcerias

O tema polémico do instagram, e que me leva às motivações novamente. Entrar para bookstagram com o objetivo de ganhar livros de borla não resulta, pelo menos durante muito tempo. É o último ponto no meu Guia para ter sucesso no Bookstagram, porque não é essencial para ter sucesso, mas é o que faz as pessoas interessarem-se pelo booktagram.

No meu caso não é uma motivação, é um bónus. Permite-me sustentar um vicio que é muito caro, eu continuo a comprar livros, mas consigo ler novidades gratuitamente, ou melhor em troca de divulgação, mas isto é um assunto para outras alturas. Se tiverem parcerias tenham boas práticas de marketing nas redes socias. A Direção Geral do Consumidor tem um guia (gratuito) para promover boas práticas na comunicação comercial no meio digital. São pouquíssimas as pessoas que o fazem em Portugal, e eu própria até há pouco tempo não ligava nenhuma a isso, mas mudei a minha posição quanto a esta questão.

Questões a ter em conta:

  • Usem #pub #oferta nos posts e stories, é obrigatório a identificação clara de conteúdo patrocinado, não interessa se não vos pagaram em dinheiro, somos pagos em géneros.
  • Não coloquem só no fim do post, evidenciem de forma clara. Têm também a opção de parceria remunerada, mas a população em geral pensa que é pagamento em dinheirinho.
  • Voltando ao ponto anterior, sejam honestos, independentemente da origem do livro, afinal os vossos seguidores confiam em vocês.

Por mais simples que seja é realmente um guia para ter sucesso no bookstagram. Não tem truques manhosos, lamento.

Que outras questões acham essenciais?
Tanto como utilizadores como criadores de conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial