Todos nós sabemos que se pode comprar seguidores, likes e até comentários. Contudo foi no novo documentário da HBO Fake Famous que percebemos o quão fácil é enganar toda a gente.

Neste documentário acompanhamos três pessoas que foram escolhidas para serem tornadas famosas através da compra de seguidores, likes e comentários. O que o produtor quer provar é que uma pessoa pode ser famosa, ou seja, pode ter muitos seguidores, likes, e até receber dinheiro e produtos, sem que realmente tenha crescido de forma saudável e sem ter uma verdadeira audiência.

Mais uma vez um documentário sobre redes sociais vem mostrar o mau da sociedade que cada vez mais vive viciada nelas.
Fake Famous em vez de mostrar como estas nos manipulam, como O Dilema das Redes Sociais, mostra como as pessoas tentam manipular o sistema. Como tentam ser famosas, ganhar dinheiro, não pela sua notoriedade, mas com esquemas e fingindo ser algo que não são. De como ter fotos no instagram que parecem uma coisa que na realidade são outra.

cena de Fake famous

Recentemente fiz alguns posts de marketing para o bookstgram, mais precisamente “Como ter sucesso no bookstagram”, e a minha inspiração foi este documentário, porque as marcas estão a abrir os olhos, é fácil perceber que os seguidores são falsos, os grupos de interação, que os comentários não são reais, porque não têm nexo, e ao mesmo tempo toda esta busca pelos likes causa uma dependência.

Dizem que o instagram vai retirar os likes das publicações, não sei se vai ser para todos, ou seja, para o público e para o criador de conteúdo (o que para mim não faz sentido por uma questão de estatística) ou só para o público, o objetivo é diminuir a rivalidade por likes, deixar que isso seja um mote de vida para as pessoas. A verdade é que todos gostamos que gostem de nós, de ter muitos likes nas redes sociais, e entrando nesse vicio, é muitas vezes complicado libertar-se.

Por exemplo, os grupos de interação de like for like mostram muito isso. Existem pouquíssimos portugueses, pelo menos no nicho em que estou inserida, ou seja, podem encontram um bookstagram com muitos likes, que cria conteúdo em português de, neste caso, editoras que apenas vendem em Portugal e que depois 75% dos likes é de estrangeiros. Ou também as conhecidas Chuvas de seguidores ou follow for follow, e através delas os perfis chegam aos 5k, 10k. O mercado que querem alcançar é o nacional, mas os seguidores são dos EUA, Brasil, Índia e afins. A mesma coisa acontece no documentário, as marcas pagam e enviam produtos para serem mostrados a seguidores que na verdade não existem.

Imaginando o cenário de uma combinação destes dois métodos de crescimento. Vem uma editora, uma marca portuguesa, e vê, esta pessoa tem 7k seguidores, 1k de likes, 500 comentários, e pensa, ótima parceira. Os seguidores 5k são estrangeiros, os likes idem, e os comentários também não foge muito. Resumindo, a marca vai vender? Vai crescer? Se os seguidores nacionais forem suficientes e a pessoa tiver peso no mercado, sim, caso contrário vai ser um tiro ao lado.

cena de Fake famous

Agora falando da minha experiência, eu estive durante algum tempo nos grupos de interação, e por isso digo que cria dependência, porque se viajarem pelo meu perfil encontram, publicações com 1k, e agora com jeitinho chego aos 100. E custa-me ver a queda, e às vezes que me apetece taguear aquele grupo para aumentar ligeiramente o número. Só que esses não serão reais, as pessoas colocam like porque se não o fizerem são expulsas dos grupos. E o pensamento tem que ser vale mais 100 verdadeiros do que 1k falsos, quase que comprados.

Alonguei-me, mas é um tema sensível, e que eu tenho apostado em aprender mais como crescer de forma saudável, sem artimanhas, de modo a apresentar às editoras que trabalham comigo dados reais, que podem ser valorizados, mas isso é outra batalha.

Eu recomendo muito que vejam este documentário, está mesmo interessante, e mostra-nos que muito do que vemos nas redes é fabricado, que os números que vemos podem não ser reais, e por isso tornar-nos mais seletivos nos conteúdos que seguimos, e que na realidade estamos perante muitos Fake Famous.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial