Este é um dos livros que já estavam aqui há uns meses por ler, e ao qual falhei no prazo a que eu própria me propus. A mão que Mata é o primeiro livro do Lourenço Seruya. Lourenço esse que na minha cabeça era constantemente Leonardo, não me perguntem porquê, mas sempre que ia procurar pelo livro no goodreads, ou o próprio autor no instagram para o taguear ia sempre para o Leonardo, como não encontrava nada, lá percebia que estava errada.

A Mão que Mata é um policial que se inicia com uma morte numa casa de gente rica em Sintra. Os Ávila, herdeiros de uma basta fortuna, juntam-se para fazer as partilhas na casa da família. Na primeira noite a tia deles, uma idosa de quem ninguém gostava, aparece morta. A polícia é chamada e pensasse tratar-se de um assalto, mas será mesmo? Ou o assassino está dentro da casa?

Eu gosto sempre de policiais passados em Portugal, há poucos (cada vez mais, felizmente, e mais falados). Para dar a minha opinião vou dividir entre o crime em si e as personagens, já perceberam porquê.

O crime é interessante, uma pessoa aparece morta na sala, ninguém ouviu ou viu nada, nada parece ter sido roubado. Todos podem ser culpados, ninguém gostava da senhora, que de simpática não tinha nada, mas ao mesmo tempo ninguém parece ter motivações suficientes para tal. Até às últimas páginas o autor deixa o leitor na expectativa e com diversas teorias. Gostei disso, e não acertei no culpado, o que é um ponto a favor, costumo ter pontaria para estas coisas.

Depois temos as personagens e isso é que me fez revirar os olhos constantemente. A equipa de detetives parece tirada do Inspetor Max, temos os preguiçosos, o gordinho e o engatatão, e depois o inspetor novo, a estrela, e o inspetor com experiência que capacidades para o trabalho que executa tem poucas ou nenhumas. É um estereótipo, o que mais me enervou foi o inspetor mais velho, o Rodrigues, constantemente repetitivo além de bastante influenciável e pouco fiável.

Como qualquer policial que se preze temos a vida dos inspetores. Só que há uma breve linha entre o que se deve descrever ou não. E na minha humilde opinião foi demais certas partes, em nada acrescentam nada, e num policial não fazem sentido, num romance sim, neste género de livro não.

Contudo nas personagens suspeitas do crime, pareceu-me que a sua construção foi mais cuidada e as informações que nos foram dadas mais doseadas, e suficientes para a história.

Em suma, é sempre bom ver mais autores de policiais em Portugal, às vezes parece que conhecemos melhor o sistema norte americano que o português pelas séries, livros e filmes. Pela forma como o livro acaba parece-me que haverão mais a acompanhar esta equipa de detetives, o que eu vou aguardar porque estou curiosa para ver a evolução do autor na sua escrita, e das próprias personagens.

Classificação

Rating: 3 out of 5.

Leitura Com Apoio

Sobre o Livro

A Mão Que Mata do Lourenço Seruya

A Mão Que Mata do Lourenço Seruya
ISBN: 9789899039285
Edição: 05-2021
Editor: Cultura Editora
Páginas: 320
Género: Policial
Onde Comprar
Wook
Bertrand
Goodreads: 4,28✯ (aqui)

Sinopse

Uma casa.
Dez pessoas.
Alguém não sairá com vida.

Naquela fria manhã de inverno, a família Ávila acordou em sobressalto: na sala de estar, jaz a tia Manuela numa poça de sangue. A vítima não era adorada pelos familiares, mas nenhum tinha motivos para a querer morta, portanto o homicídio só poderá ser resultado de um assalto.

O inspetor Bruno Saraiva da Polícia Judiciária é chamado para investigar o caso e rapidamente conclui que o assassino não só está naquela casa, como é alguém conhecido de todos.

As opiniões dividem-se e a família Ávila não parece muito disposta a colaborar com a polícia, até que é encontrado um segundo cadáver na mansão da Serra de Sintra…

P.S: Este post contém links de afiliados. Para saber mais sobre clique aqui.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial