Hoje em dia o preço dos livros novos estão a atingir valores impensáveis e cada vez mais no nosso país ler é um luxo. Temos livros a custarem 19,99€, preços que antigamente eram reservados a livros muito grandes, agora um simples livro de 300/400 páginas chega a esse valor em algumas editoras.

Participei recentemente numa troca de livros de Natal em que todos os livros acima de 17€ estavam excluídos. Quando fui a ver eram poucos os livros que eu tinha escolhido que sem qualquer desconto estavam abaixo desse preço. Isto é preocupante num país de salários mínimos. Como queremos incentivar à leitura e que os pais incentivem os filhos a ler se um livro juvenil custa 10€? Quantos têm possibilidades de comprar os pais a este preço?

Há outras formas de ler barato, através das bibliotecas, mas quem não gosta de ter alguns livros seus? De começar a formar a sua pequena coleção? A verdade é que é quase impossível ter uma grande coleção de livros comprando sempre livros novos. Uma opção, e cada vez mais válida é os livros em 2ª mão. Contudo muita gente tem medo de comprar na internet, comprar gato por lebre.

Eu nunca, até agora, fui enganada, mas nem sempre o que chegou cá a casa estava nas condições que dizia estar e além disso de contacto com outras pessoas fui aprendendo alguns truques de como evitar que as compras em segunda mão deem errado, e é isso que venho partilhar hoje com vocês.

Onde Comprar

Hoje em dia há imensos locais onde comprar livros em segunda mão. Desde os famosos alfarrabistas em formato físico, como todos os digitais. Neste artigo vou-me focar nos digitais.

Os mais conhecidos são o OLX e os grupos de Facebook. Em ambos os casos temos pessoas normais que tentam vender alguns dos seus livros, bem como alguns alfarrabistas que criaram páginas de Facebook para as suas lojas. No caso dos grupos de Facebook há um pouco de tudo, livros até um certo preço, páginas de procura de livros, onde quem os tem depois contacta a pessoa e os meus preferidos, os leilões. Foi através deles que entrei nos livros em 2ª mão. Consegue-se comprar grandes pechinchas.

Contudo há mais locais onde podem comprar, mais recentemente foi criado um site exclusivamente para a venda de livros, uma espécie de OLX literário. Chama-se TradeStories e qualquer pessoa se pode inscrever e vender os seus livros, também é possível colocar livros que estamos à procura e outras pessoas contactam-nos a dizer que os têm.

Mais recentemente, e bastante popular apareceu a app Vinted, conhecida por vender roupa, mas também já dá para livros. Não tem muita oferta em português no momento, mas já fiz uma compra por uma autêntica pechincha (10,10€ por 5 livros), a única desvantagem podem ser os portes, contudo é uma compra muito mais segura, uma vez que a plataforma é que medeia toda a negociação, e se não tiverem satisfeitos devolvem-vos o dinheiro.

E como não podia faltar o instagram. À semelhança do Facebook existem várias páginas de venda de livros, apesar de terem pouca variedade, contudo ao seguires páginas do bookstagram facilmente encontras algumas delas a vender ou trocar os seus livros.

Que informações devo pedir

Deves sempre pedir mais fotos do livro das que estão nos anúncios. Isto porque há quem faça negócio com livros que não lhes pertence, retirando fotos da internet de outras pessoas e vendendo como suas.

Essencialmente deves pedir dos cantos e das laterais. Da parte das folhas deves ter em atenção a cor das páginas e a possibilidade de haver manchas de humidade. Na lombada tem em conta os vincos. Por fim os cantos de modo a ver como o livro é tratado. Hoje em dia a maioria dos livros têm badanas (aquela parte da capa do livro que vai para dentro dele), mas os que não têm tendem a começar a descascar nas pontas.

Por exemplo, eu costumo comprar aqueles livros de bolso da harlequin em segunda mão, e os vincos nas lombadas mostra-se se o livro foi muito usado, bem como os cantos.

Mesmo assim ainda se pode ter surpresas porque nem tudo se vê nas fotografias e ainda não sentimos o cheiro dos livros por elas. O meu maior medo é cheiros a mofo e a tabaco, e este último está muito frequente.

Além disso podem também pedir a foto de uma página ao calhas, de modo a obrigar a pessoa a tirar uma foto ao livro.

Métodos de Pagamento

Eu nunca tive problemas, mas vou aconselhar-vos de acordo com histórias que ouvi. Nunca paguem por MBway na primeira vez que compram aquela pessoa. Prefiram pagamentos por transferência bancária, vou explicar porquê.

Segundo ouvi dizer de pessoas que não tiveram tanta sorte como eu, por mbway deixa de haver rasto a partir do momento em que a pessoa desassocia o número de telemóvel à conta. Deste modo se tentarem fazer queixa na Polícia da burla não há nada que os faça chegar à pessoa, principalmente se o número for um pré-pago e não estiver em nome de ninguém.

O NIB não é fácil de mudar não é… e segundo essas pessoas foi a forma de irem fazer justiça. E vocês perguntam vale a pena fazer queixa por pouco dinheiro? Se ninguém fizer essas pessoas nunca vão parar e grão a grão vão fazendo dinheiro à custa dos outros. Das histórias que ouvi de pessoas que apresentaram queixa, quando a notificação da queixa chega a casa dos burlões por norma os livros aparecem por magia em casa dos compradores.

Por isso tenham cuidado, prefiram sempre transferência bancária, mesmo que seja mais prático pagar por mbway.

Livro com Portes ou sem Portes

Com Portes. Por exemplo, têm dois livros iguais, um custa 5€ outro 6€. À partida, desde que não seja um livro pequeno, os portes, mesmo em correio editorial serão mais que 1€. Mas o melhor é sempre perguntar o preço com os portes e avaliar se vale ou não a pena.

Vale a pena correio registado?

Depende, principalmente do valor investido. Por 5 euros não vale a pena. Por 20€ se calhar já é de pensar melhor. Em correio editorial, algo que devem pedir sempre porque é mais barato, em registado acresce cerca de 1,75€ ao preço do livro. Podem ler sobre o assunto aqui.

Deem uma segunda vida aos livros, contudo sempre com cuidado para não saírem prejudicados.

1 Comment

  1. Excelente publicação! 🙂
    Tenho comprado cada vez mais em segunda mão mas confesso que sou um bocado displicente, vou sempre à confiança. Até hoje ainda não tive problemas, o que não signifique que as burlas não andem por aí /:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial